Como gerenciar o que precisa ser feito?

Olá meus amigos,

Vocês sabem que um dos principais problemas que podem acontecer e acontecem em projetos é a falta da definição de um escopo? Pois bem, isso é realmente verdade e acredito que seja um dos principais fatores de os projetos atrasarem e algumas vezes nunca acabarem.

Mas enfim, o que é o escopo do projeto? Segundo o Guia PMBOK devemos categorizar o termo escopo em duas definições, o escopo do produto e o escopo do projeto.

“Escopo do produto é composto por todas as características e funções que caracterizam um produto, serviço ou resultado”

Já o escopo do projeto é descrito como:

“o trabalho que deve ser realizado para entregar um produto, serviço ou resultado com as características e funções especificadas. O termo escopo do projeto ´às vezes é visto como incluindo o escopo do produto”.

Em outras palavras, e de uma forma simples, podemos dizer que o escopo de um projeto é caracterizado por tudo o que será realizado e o que não será realizado por um projeto. E para tal, gostaria de apresentar uma ferramenta simples que pode ser utilizar para estabelecer o escopo dos seus projetos.

A Estrutura Analítica do Projeto – EAP

“A Estrutura Analítica do Projeto é uma decomposição hierárquica do escopo do trabalho a ser realizado pela equipe o projeto a fim de alcançar os objetivos do projeto e criar as entregas requeridas” (PMBOK, 2013)

O processo de criação da EAP é muito simples. Iniciamos pela identificação do projeto, representando o nível mais alto da estrutura.

No segundo nível devemos trabalhar com um a subdivisão do próprio Gerenciamento do Projeto, afinal de contas este também é um produto do projeto e deverá ser considerado em seu planejamento.

 

 No terceiro nível devemos decompor o projeto em sub nós que podem representar organizações lógicas ou até mesmo fases da execução do projeto.

Neste nível devemos adicionar um pacote de trabalho que precisarmos dar atenção que é o de fechamento do projeto.

Nó próximo nível da EAP devemos adicionar as entregas (produtos) que deverão ser feitas para cada uma das etapas ou sub-produtos (entregas parciais) que compõem os itens identificados.

Agora só nos resta decompor as entregas parciais até um nível de detalhe que viabilize o planejamento e controle em termos de tempo, custo, qualidade, riscos, atribuições de responsabilidades e contratações, se for o caso.

Por fim, não deixe de validar esta estrutura com toda sua equipe e com as demais partes interessadas do projeto, eles com certeza terão visões que muitas vezes não conseguimos perceber, além claro de tornarem-se parte do processo de construção do escopo, fazendo-os mais envolvidos no projeto.

Espero que tenham gostado e sucesso a todos em seus projetos.


Bernardo Brandão, é Gerente de Projetos e consultor nas área de estratégia empresarial e gerenciamento de projetos.
CEO da Cisterlabs e Adhoc Games.
bernardo@cisterlabs.com.br

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *